BIOLOGIA DOS POMBOS

Biologia e Comportamento

  

  

 

Os pombos vivem em quase todos os tipos de ambientes, especialmente onde vive o homem. O pombo-comum, também conhecido como pombo-doméstico ou pombo-das-rochas (Columba livia), é uma ave columbiforme bastante frequente em áreas urbanas.
Alimenta-se de sementes, grãos e frutas e, nas cidades, do que estiver disponível nas ruas, incluindo resíduos. Um grande problema quanto ao Pombo é que não há nenhum predador nas grandes cidades para este animal e sua reprodução é rápida, o que gera uma população cada vez crescente, um grave problema ambiental ao homem.
O pombo-comum faz o seu ninho numa plataforma de ramos,  numa árvore ou em qualquer plataforma que esteja livre de frio e chuva, onde põe dois ovos brancos, que são incubados, tanto pelo macho como pela fêmea, levam de 14 a 19 dias. Os filhotes abandonam os ninhos com 15 dias e os pais os alimentam nesse período com "leite de papo", massa rica em proteínas e gorduras que se desenvolve em ambos os sexos durante a procriação. Os pombos comuns acasalam-se a cada três meses e deste acasalamento põem dois ovos que gerarão sempre um casal, um macho e uma fêmea.

  

 

É considerado um grave problema ambiental, pois compete por alimento com as espécies nativas, danifica monumentos com suas fezes e pode transmitir doenças ao homem.

DOENÇAS TRANSMITIDAS
- Psitacose
- Criptococose
- Salmonelose

Há um mito comum entre as pessoas não especializadas e até mesmo entre alguns profissionais da saúde de que eles podem transmitir toxoplasmose, mas a única maneira disso ocorrer seria através de uma hipótese remotíssima: se uma pessoa comesse a carne crua de uma ave que estivesse infectada com o Toxoplasma gondii. Portanto, o pombo não transmite toxoplasmose para seres humanos, somente para os animais que eventualmente se alimentem de aves cruas.

TAMBÉM PODEM TER
- Piolhos
- Ácaros
- Pulgas

 

 

 

 
Existe uma repugnância crescente à presença dos pombos, tidos como "ratos de asas", em áreas urbanas.