BIOLOGIA DAS BARATAS

 Biologia e Comportamento

  

As baratas são insetos que habitam o nosso planeta a cerca de 300 milhões de anos. Ao longo deste tempo sofreram poucas alterações morfológicas o que sugere que são muito hábeis na sua capacidade de adaptação e são vencedoras na luta pela sobrevivência. Existem na natureza cerca de 3.500 espécies de baratas, porém apenas cerca de dezenas se adaptaram ao meio urbano. Em São Paulo, a grande maioria dos problemas é causada por duas espécies: BLATELLA GERMÂNICA E PERIPLANETA AMERCICANA.

 

 

  • ALGUMAS CARACTERÍSTICAS GERAIS DAS BARATAS.

 

- Possuem hábitos noturnos;

- Preferem ambientes quentes e úmidos;

- São onívoras – comem de tudo, preferencialmente alimentos de origem animal ou que apresentem altos teores de gorduras;

- Vive em pequenas frestas ou em locais escondidos, como rede de esgotos e tubulações em geral;

- Geralmente vivem em grandes grupos;

- Nos seu ciclo biológico passam por três fases: ovo, ninfa e adulto;

- Sofrem de 07 a 11 mudas ao longo da vida.

 

 

  • BARATA ALEMÃ (BLATELLA GERMÂNICA)

Também conhecida como barata de cozinha, paulistinha, francesinha ou simplesmente baratinha. São insetos de porte pequeno com cerca de 1.5 à 3 cm de comprimeto e, vivem principalmente em lugares onde haja manipulação de alimentos ou resíduos de alimentos. Passam por diversas mudas. Alojam-se, preferencialmente em frestas e fendas ou no interior de utensílios ou motores. Vivem geralmente por um ano e são capazes de produzir de 06 à 10 ootecas (cápsulas onde estão os ovos, cerca de 30 à 45), carregando as mesmas por cerca de 30 dias, até que os ovos eclodam. Pode viver até 11 dias sem alimento, desde que tenha água.

 

  • BARATA AMERICANA (PERIPLANETA AMERCICANA)

   

Conhecida como barata de esgoto, barata de cozinha ou voadora. Medem cerca de 4 à 5 cm de comprimento e, tem uma cor castanho avermelhada. Vivem em esgotos, forros, caixões, Lages, caixas de inspeção, gordura e bueiros. Preferem lugares que sejam quentes, úmidos e escuros. São insetos que transmitem doenças, ou seja, são vetores, pois vivem em locais de grande quantidade de micro organismos. Vivem em média 18 meses, Podem viver sem alimento por meses, mas nunca sem água. As fêmeas depositam suas ootecas (cápsulas de ovos) em locais próximos ao alimento e água. Utilizam para fixação das ootecas nas superfícies, uma substância produzida na boca como se fosse uma cola. Cada ooteca possui em média 20 ovo que eclodem entre 50 e 60 dias.